Foto: Victor Balde

Magavilha

Em cena, uma palhaça tímida e atrapalhada, que não sabe muito bem onde se colocar. Ela espera a chegada de um mágico e, curiosa, mexe numa mala misteriosa, passa por uma transformação e mostra que de tímida não tem nada, apresentando números de mágica e dança recheados de comicidade. Elementos rítmicos do nordeste brasileiro e melodias circenses tradicionais revelam as nuances desta trama simples, contada sem palavras, onde a plateia é constantemente convidada a participar de forma direta na construção do espetáculo.