Divulgação

O Beijo no Asfalto

“O Beijo no Asfalto” foi escrito em 1960 a pedido de Fernanda Montenegro, que precisou usar de muita persuasão para que o texto fosse concluído.
A história tem seu ponto de partida na Praça da Bandeira, quando um homem é atropelado por um lotação e à beira da morte pede um beijo para quem lhe vai acudir, Arandir. O repórter da Última Hora, Amado Ribeiro, presencia o atropelamento e o beijo. Com a conivência de um delegado de polícia inescrupuloso transforma o acidente num caso de pederastia em praça pública com o simples intuito de vender jornal, porém com o desenrolar das situações, as conseqüências do caso vão ganhando maior gravidade, inclusive na vida afetiva e profissional de Arandir.